Pular para o conteúdo principal

Palavra de Jackson - Imperatriz, 157 anos

Palavra de Jackson

Imperatriz, 157 anos

Voltei a Imperatriz no decorrer desta semana, para participar, a convite do prefeito Sebastião Madeira, das festividades alusivas aos 157 anos de emancipação do município. O convite foi acrescido da informação de que eu receberia a Medalha Frei Manoel Procópio, mais alta comenda concedida pela cidade àqueles que deram alguma contribuição relevante ao seu desenvolvimento.

A distinção, prova da generosidade que o povo da região tocantina (e muito especialmente de Imperatriz) tem dispensado a minha pessoa, não me surpreendeu, mas como sempre me comoveu e fez aumentar em mim as responsabilidades para com aquela gente corajosa e altaneira.

A visita à cidade foi, também, a oportunidade de conversar com pessoas dos mais variados níveis, que me procuraram durante os poucos dias que ali passei, quando pude constatar o sentimento de perda existente na população quanto ao seqüestro dos recursos que haviam sido conveniados entre o governo do Estado e a administração municipal, o que, no caso de Imperatriz, representaram R$ 56,4 milhões.

A população sabe que aqueles recursos seriam de grande valia para a melhoria das condições de vida de todos que moram naquela grande cidade e que se transformariam em um hospital de urgência e emergência, na urbanização e revitalização da Avenida Beira-Rio, na construção do Mercado do Peixe, na construção de casas populares, na pavimentação e drenagem de vias na zona urbana e nos distritos.

Outra constatação que pude fazer, nos exíguos dias de minha permanência, foi a do crescimento da auto-estima do povo imperatrizense, o que tão bem se refletiu nas comemorações do aniversário da cidade, presididas pelo prefeito Madeira. O conjunto de pessoas homenageadas pela Prefeitura compunha-se de pioneiros, de servidores municipais com longa carreira a serviço da cidade e de personalidades com serviços prestados a Imperatriz em setores os mais diversos.

Aqueles homens e mulheres que receberam a honraria concedida pela Prefeitura formavam um mosaico que expressava diferentes procedências, classes sociais, faixas etárias, credos religiosos, histórias de vida, mas que se encontravam na dedicação e no amor à cidade. Pessoas que se realizam na contribuição que deram e dão a sua comunidade.

São atitudes como estas que forjam uma grande cidade. E fazem, também, que as comemorações de aniversário de Imperatriz vão além de uma efeméride e se transformem na reafirmação da vontade de crescer e de se desenvolver econômica, cultural e socialmente.

Parabéns, Imperatriz. Parabéns, povo imperatrizense. Parabéns, prefeito Madeira.

Jackson Lago
Ex-governador do Estado do Maranhão


Comentários

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas deste blog

Neiva Moreira, semeador das rebeldias

PORQUE ATACAM O PROGRAMA ESCOLA DIGNA?

Jhonatan Almada, Reitor do IEMA e ex-Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação

As crianças do Povoado Peritoró dos Pretos não podem estudar o sistema solar como as crianças das escolas particulares da capital?
O problema educacional brasileiro, ao contrário do que muitos afirmam não se reduz à qualidade do ensino. Temos problemas ligados ao acesso (ausência de vagas em creche, pré-escola e no ensino médio), a permanência (evasão no ensino fundamental e ensino médio), ao aprendizado (baixa proficiência de português, matemática e ciências) e ao sucesso escolar (poucos concluem e progridem entre as etapas). Esse é um resumo da situação brasileira que se agrava ou se repete nos estados e municípios.
Todos os anos os sistemas federal, estaduais e municipais de ensino investem bilhões de reais em salários, equipamentos e formações. É possível questionar o monitoramento dos resultados e da qualidade desses investimentos, mas não o fato deles acontecerem. Os principais diferenciais do governo…

LULA E A ESPERANÇA APRISIONADA

Jhonatan Almada, Reitor do IEMA e ex-Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovaçao
Lembro o distante ano de 1994 da campanha Lula Lá. Arrepiante jingle que não se esquece. Foi em 2003 que essa música virou governo e um mar de gente nunca antes visto ocupou o Palácio do Planalto, 2003-2010 foi um período de prosperidade, crescimento e inclusão social para o Brasil.
Cena um. Lula nos braços do povo. Cena dois. Lula tenta se entregar voluntariamente à Polícia Federal para cumprir sua condenação. Cena três. O povo impede a saída do carro com Lula. Cena quatro. Após horas de resistência cívica e negociação, Lula sai a pés do Sindicato dos Metalúrgicos e se entrega. A força popular de Lula elevou sua estatura ante o arbítrio dos pequenos tiranetes de Curitiba.
Li “A verdade vencerá”, livro com entrevista antológica de Luís Inácio Lula da Silva, registra seu legado e ao mesmo tempo suas propostas caso pudesse exercer outro mandato de Presidente da República. Lula enfrenta novo teste de fogo da…