Pular para o conteúdo principal

Jhonatan Almada



Diretor do Centro de Inovação e Conhecimento para a Excelência em Políticas Públicas-CIEPP. Presidente da Federation of International RoboSports Association (FIRA) no Brasil. É co-fundador da Rede de Planificadores Educativos da América Latina e membro da Rede de Especialistas em Política Educativa da UNESCO/IIPE

Mestre em Educação pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Especialista em Planejamento e Gestão de Políticas Educativas pelo Instituto Internacional de Planejamento da Educação da UNESCO. Especialista em Gestão e Políticas Públicas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Graduado em História pela Universidade Estadual do Maranhão-Uema.

É servidor público federal da Carreira de Técnico de Assuntos Educacionais, lotado na Universidade Federal do Maranhão (UFMA). 

Membro da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Associação Nacional de Política e Administração da Educação (Anpae), Instituto Histórico e Geográfico Maranhense (IHGM), Instituto Histórico e Geográfico de Caxias (IHGC), Sócio fundador do Instituto Jackson Lago (IJL), e membro do Grupo de Estudos e Pesquisas de Políticas Educacionais do Programa de Pós-graduação em Educação da UFMA e da UEMA. 

Exerceu os seguintes cargos e funções:
- Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação
- Reitor do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhao-IEMA
- Secretário-Adjunto de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
- Presidente do Conselho Fiscal do Conselho Nacional de Secretários de Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação-CONSECTI
- Chefe de Gabinete do IMESC
- Chefe de Gabinete da Pró-Reitoria de Ensino da UFMA
- Coordenador de Projetos da ONG Escola de Formação de Governantes
- Membro do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico e Social
- Membro do Conselho Curador da Fundação Sousândrade
- Membro do Conselho Deliberativo do SEBRAE
- Membro do Comitê Nacional de Políticas de Educação Profissional e Tecnológica.

Exerceu a docência na rede pública estadual como Professor de História; na Universidade Estadual do Maranhão como Professor da Especialização em Metodologia do Ensino Superior; e na Universidade Federal do Maranhão como Professor da Especialização em Gestão Pública e da Especialização em Educação Integral. 

Publicou mais de 20 livros, entre eles "Pelo direito à educação no Brasil", "Planejamento e desenvolvimento do Maranhão", "Maranhão: enigmas, desafios e urgências", "Ignacio Rangel, decifrador do Brasil", "Alternância do poder político no Maranhão" e "Governo Jackson: o legado". As principais publicações estão disponíveis no ISSUU no link https://issuu.com/jhonatanalmada. 

Escreve artigos de opinião às sextas-feiras no Jornal Pequeno http://jornalpequeno.com.br/.

Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Política e Planejamento da Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação, Política e Planejamento Educacional, Financiamento da Educação, Políticas Públicas de Educação e as relações entre Educação e Desenvolvimento. 

Para o Currículo completo ver Lattes.

Distinções e premiações
  • Indicado para o Prêmio Darcy Ribeiro da Câmara dos Deputados
  • Doutor Honoris Causa em Ciências da Educação pela Emill Brunner University
  • Parceiro da Socioeducação (FUNAC-MA)
  • Diploma de Mérito em Direitos Humanos (ESA/OAB-MA)
  • Diploma de Mérito pelo Centenário da Faculdade de Direito do Maranhão
  • Medalha Dica Ferreira de Parceiro da Juventude (Seejuv)
  • Palmas Universitárias (UFMA)
  • Homenagem da Sociedade de Astronomia do Maranhão (SAMA)
  • Cidadão Municipal de Imperatriz
  • Destaque Agência Promotora de Intercâmbio Internacional no Maranhão (UEMA)
  • Amigo da Ciência (SNCT 2016, Imperatriz)
  • Homenagem Especial (Fundação Sousândrade de Apoio ao Desenvolvimento da UFMA)
  • Agradecimento Especial do Centro de Educação da UEMA 
  • Agradecimento do Fórum Internacional de Pedagogia-FIPED
  • Prêmio 35 anos da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)
  • Grande Benemérito da Associação Comunitária do Bairro Ponte de Caxias
  • Prêmio Professora Rosa Mochel, Centro de Ensino Menino Jesus de Praga
  • Colaborador Benemérito do Centro de Educação da UEMA
  • Agradecimento da Associação Brasileira de Reitores de Universidades Estaduais e Municipais (ABRUEM)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BANQUE O DURO, MEU CHEFE

BANQUE O DURO , MEU CHEFE ! Por Raimundo Palhano Não deixe o seu lugar. Foi o conselho do venerável Bita do Barão de Guaré ao presidente do Senado, José Sarney, que, ao que parece, está sendo levado extremamente a sério. Quem ousaria desconsiderá-lo? Afinal, não se trata de um simples palpite. Estamos frente à opinião de um sumo sacerdote do Terecô, um mito vivo para o povo de Codó e muitos outros lugares deste imenso Maranhão. Um mago que, além de Ministro de Culto Religioso, foi agraciado pelo próprio Sarney, nos tempos de presidência da República, com o título de Comendador do Brasil, galardão este acessível a um pequenino grupo de brasileiros. Segundo a Época de 18.02.2002, estamos falando do pai de santo mais bem sucedido, respeitado, amado e temido do Maranhão. Com toda certeza o zelador de santo chegou a essa conclusão consultando seus deuses e guias espirituais. Vale recordar que deles já havia recebido a mensagem de que o Senador tem o “corpo fechado”. Ketu,

É POSSÍVEL REABRIR AS ESCOLAS

  É preciso organizar a reabertura das escolas públicas em 2021 com os cuidados sanitários devidos, por outro lado e em paralelo, priorizar a vacinação das equipes escolares (professores, gestores, técnico-administrativos e terceirizados). Não há tempo a perder, estamos entregando uma geração de estudantes para a desigualdade por incompetência e inação. O trabalho de preparação para reabrir as escolas deve ocorrer neste mês de janeiro, que na educação só deve ser férias para os estudantes e professores. As equipes técnicas devem organizar a retomada das aulas ainda no primeiro semestre de 2021 de forma gradual e escalonada. A primeira tarefa é assegurar os insumos e adaptações necessárias, máscaras, álcool em gel, distanciamento e reorganização das salas de aula e turmas. Se pode fazer a retomada presencial escalonada a partir de fevereiro, conforme avançar a vacinação, 30% dos estudantes no primeiro mês, 50% no segundo mês, 75% no terceiro mês até chegar a 100% no quarto mês letivo, e

IMPACTO DAS DESIGUALDADES NA EDUCAÇÃO

O mundo vive algo inédito na história recente, a suspensão das aulas alcançou 191 países, 1,575 bilhão de estudantes, isso significa 91,3% da população estudantil. O período de quarentena requerido para contribuir com o enfrentamento do coronavirus trouxe desafios enormes para os sistemas educacionais e para as famílias, ambos despreparados para a modalidade de educação a distância ou remota. Em casa, temos alternado entre as tarefas domésticas e as tarefas escolares dos filhos pequenos. É muito claro para mim que não podemos substituir os professores da educação infantil e do ensino fundamental, menos ainda a instituição escolar. As instituições escolares, por sua vez, precisam moderar os conteúdos, não se trata de ensinarmos no lugar dos professores, mas de auxiliarmos nas atividades adequadas ao momento. Jaime Saavedra, Diretor Global de Educação do Banco Mundial enfatiza que tal suspensão de aulas nunca ocorreu em nível global e chama nossa atenção para o fato de que só 20 a 30% d