Pular para o conteúdo principal

Jhonatan Almada



  • Mestre em Educação pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA);
  • Especialista em Planejamento e Gestão de Políticas Educativas pelo Instituto Internacional de Planejamento da Educação da UNESCO;
  • Especialista em Gestão e Políticas Públicas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV); 
  • Licenciado em História pela Universidade Estadual do Maranhão-Uema.

Atuação profissional

É servidor público federal da Carreira de Técnico de Assuntos Educacionais, lotado na Universidade Federal do Maranhão (UFMA). 

Membro da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Associação Nacional de Política e Administração da Educação (Anpae), Instituto Histórico e Geográfico Maranhense (IHGM), Instituto Histórico e Geográfico de Caxias (IHGC), Academia Caxiense de Letras (ACL), Sócio fundador do Instituto Jackson Lago (IJL), e membro do Grupo de Estudos e Pesquisas de Políticas Educacionais do Programa de Pós-graduação em Educação da UFMA e da UEMA. 

Exerceu os seguintes cargos e funções:
- Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação
- Reitor do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhao-IEMA
- Secretário-Adjunto de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
- Presidente do Conselho Fiscal do Conselho Nacional de Secretários de Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação-CONSECTI
- Chefe de Gabinete do IMESC
- Chefe de Gabinete da Pró-Reitoria de Ensino da UFMA
- Coordenador de Projetos da ONG Escola de Formação de Governantes
- Membro do Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico e Social
- Membro do Conselho Curador da Fundação Sousândrade
- Membro do Conselho Deliberativo do SEBRAE
- Membro do Comitê Nacional de Políticas de Educação Profissional e Tecnológica.

Exerceu a docência na rede pública estadual como Professor de História; na Universidade Estadual do Maranhão como Professor da Especialização em Metodologia do Ensino Superior; e na Universidade Federal do Maranhão como Professor da Especialização em Gestão Pública e da Especialização em Educação Integral. 

Publicações

Publicou mais de 20 livros, entre eles "Pelo direito à educação no Brasil", "Planejamento e desenvolvimento do Maranhão", "Maranhão: enigmas, desafios e urgências", "Ignacio Rangel, decifrador do Brasil", "Alternância do poder político no Maranhão" e "Governo Jackson: o legado". As principais publicações estão disponíveis no ISSUU no link https://issuu.com/jhonatanalmada. 

Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Política e Planejamento da Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação, Política e Planejamento Educacional, Financiamento da Educação, Políticas Públicas de Educação e as relações entre Educação e Desenvolvimento. 

Para o Currículo completo ver Lattes.

Distinções e premiações
  • Indicado para o Prêmio Darcy Ribeiro da Câmara dos Deputados
  • Doutor Honoris Causa em Ciências da Educação pela Emill Brunner University
  • Parceiro da Socioeducação (FUNAC-MA)
  • Diploma de Mérito em Direitos Humanos (ESA/OAB-MA)
  • Diploma de Mérito pelo Centenário da Faculdade de Direito do Maranhão
  • Medalha Dica Ferreira de Parceiro da Juventude (Seejuv)
  • Palmas Universitárias (UFMA)
  • Homenagem da Sociedade de Astronomia do Maranhão (SAMA)
  • Cidadão Municipal de Imperatriz
  • Destaque Agência Promotora de Intercâmbio Internacional no Maranhão (UEMA)
  • Amigo da Ciência (SNCT 2016, Imperatriz)
  • Homenagem Especial (Fundação Sousândrade de Apoio ao Desenvolvimento da UFMA)
  • Agradecimento Especial do Centro de Educação da UEMA 
  • Agradecimento do Fórum Internacional de Pedagogia-FIPED
  • Prêmio 35 anos da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)
  • Grande Benemérito da Associação Comunitária do Bairro Ponte de Caxias
  • Prêmio Professora Rosa Mochel, Centro de Ensino Menino Jesus de Praga
  • Colaborador Benemérito do Centro de Educação da UEMA
  • Agradecimento da Associação Brasileira de Reitores de Universidades Estaduais e Municipais (ABRUEM)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BANQUE O DURO, MEU CHEFE

BANQUE O DURO , MEU CHEFE ! Por Raimundo Palhano Não deixe o seu lugar. Foi o conselho do venerável Bita do Barão de Guaré ao presidente do Senado, José Sarney, que, ao que parece, está sendo levado extremamente a sério. Quem ousaria desconsiderá-lo? Afinal, não se trata de um simples palpite. Estamos frente à opinião de um sumo sacerdote do Terecô, um mito vivo para o povo de Codó e muitos outros lugares deste imenso Maranhão. Um mago que, além de Ministro de Culto Religioso, foi agraciado pelo próprio Sarney, nos tempos de presidência da República, com o título de Comendador do Brasil, galardão este acessível a um pequenino grupo de brasileiros. Segundo a Época de 18.02.2002, estamos falando do pai de santo mais bem sucedido, respeitado, amado e temido do Maranhão. Com toda certeza o zelador de santo chegou a essa conclusão consultando seus deuses e guias espirituais. Vale recordar que deles já havia recebido a mensagem de que o Senador tem o “corpo fechado”. Ketu,

É POSSÍVEL REABRIR AS ESCOLAS

  É preciso organizar a reabertura das escolas públicas em 2021 com os cuidados sanitários devidos, por outro lado e em paralelo, priorizar a vacinação das equipes escolares (professores, gestores, técnico-administrativos e terceirizados). Não há tempo a perder, estamos entregando uma geração de estudantes para a desigualdade por incompetência e inação. O trabalho de preparação para reabrir as escolas deve ocorrer neste mês de janeiro, que na educação só deve ser férias para os estudantes e professores. As equipes técnicas devem organizar a retomada das aulas ainda no primeiro semestre de 2021 de forma gradual e escalonada. A primeira tarefa é assegurar os insumos e adaptações necessárias, máscaras, álcool em gel, distanciamento e reorganização das salas de aula e turmas. Se pode fazer a retomada presencial escalonada a partir de fevereiro, conforme avançar a vacinação, 30% dos estudantes no primeiro mês, 50% no segundo mês, 75% no terceiro mês até chegar a 100% no quarto mês letivo, e

A educação de São Luís

Ontem foi o Dia do Professor, portanto, momento oportuno para refletir sobre a educação. A educação de São Luís tem sido objeto de minhas reflexões nos últimos anos, especialmente por ser o maior sistema municipal de ensino dentre os 217 municípios do Maranhão.  Isso demanda atenção especial, por isso já escrevi sobre a escola que não ensina e a necessidade de superar essa escola . Embora os artigos tenham provocado o debate público no nível possível para a nossa realidade, isso não resultou em modificações da política educacional de então. Nesse sentido, enquanto contribuição, penso que é importante dimensionar qual herança a gestão anterior deixou no âmbito da educação de São Luís, o CIEPP fez um diagnóstico sobre isso. Um problema central deixado foi o acesso à creche, depois de 8 anos, somente 442 vagas a mais foram entregues, se comparamos a matrícula de 2013 e a matrícula de 2020. Para termos uma ideia da gravidade disso, São Luís registrou em 2020 cerca de 6,5 mil nascimentos