Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2016

O MARANHÃO ILUMINA CAMINHOS PARA O BRASIL

  Jhonatan  Almada, historiador 2016 foi um ano extremamente difícil para o Brasil e para o Maranhão em particular. Retrospectiva evidenciará que a permanente instabilidade política do país não encontrou fim e a superação da crise  econômica não chegou. A crise do pacto de  poder   ( que vigeu até 2014 )   e a inexist ência de projeto nacional empurr a ra m-nos para 2017 com grandes incertezas e falta de clareza no horizonte. Nesse cenário, o  Maranhão se tornou  raríssima exceção quanto ao desempenho das políticas públicas amplia ndo  o acesso  a direitos e estimulando  a economia estadual, equilíbrio perdido no âmbito de governos como Rio de Janeiro,  Minas Gerais,  Rio Grande do Sul, Goiás, Paraná, Tocantins e Distrito Federal  que parcelam  ou atrasam  salários, não pagam fornecedores, fecham órgãos  e serviços  públicos .  O Governo do Maranhão ganhou fôlego para enfrenta r as incertezas de 2017 graças à  economia de R$ 300 milhões em 2015-2016  advinda do  corte

DOIS ANOS DE MUDANÇA E DESENVOLVIMENTO NO MARANHÃO

Jhonatan Almada, Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação  Estamos finalizando o segundo ano do Governo Flávio Dino e os resultados são claros, consequentes e focados, daí o ânimo da oposição em ampliar as críticas e os ataques inclusive com mentiras deslavadas, desvario parlamentar e pirotecnias midiáticas. Em 2 anos implantamos a primeira rede de educação profissionalizante, a primeira rede de hospitais regionais, a primeira universidade regional e programas descentralizados que circulam o Maranhão com ações de melhoria dos indicadores municipais, alfabetização, formação juvenil, oficinas de ciências, atendimento médico familiar, assistência técnica agrícola, sistemas agrícolas,  restaurantes populares, cozinhas comunitárias, novas estradas, praças, asfalto e transporte escolar. O balanço desses 2 anos é complexo e não comporta único artigo. Importante perceber que o inconformismo de quem pertencia ao antigo regime cresce proporcionalmente em relação ao sucesso d

DEZ ANOS DO IEMA/ESTALEIRO-ESCOLA

Jhonatan Almada, Secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação Nesta semana começamos a programação alusiva aos 10 anos do Estaleiro-Escola, hoje Unidade Vocacional do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão-IEMA, em franco processo de recuperação e melhorias desde o início do Governo Flávio Dino. O Estaleiro-Escola é um equipamento público educacional de natureza muito especial, fundado com o objetivo nobre de preservar as artes da construção naval artesanal do Maranhão. Phelipe Andrés foi o fundador do Estaleiro-Escola a partir dos estudos básicos que viabilizaram a identificação do local e fundamentaram o financiamento público para a construção e recuperação do imóvel em ruínas, isso tudo durou mais de 20 anos entre a concepção e a materialização. A alma do Estaleiro-Escola são os mestres de ofício que possuem saber singular a ser preservado e transmitido no âmbito dessa instituição, cuja equipe se dedica carinhosamente para seu bom fu

O IEMA RUMO A NOVAS CONQUISTAS

Jhonatan Almada, Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação O Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão-IEMA foi criado no Governo Flávio Dino e completa 10 meses de funcionamento com as Unidades Plenas de São Luís, Bacabeira e Pindaré-Mirim, contando com mais de 600 estudantes cursando ensino médio técnico de tempo integral com modelo pedagógico inovador. Temos ainda as Unidades Vocacionais onde capacitamos mais de 2 mil pessoas em cursos como Agricultura Orgânica (Bequimão), Artefatos de Couro (Ribeiraozinho), Produção de Sorvetes (Caxias) ou Cooperativismo (Codó).  Não é um investimento pequeno, sobretudo em tempos de forte crise econômica e queda brutal nas transferências federais que já subtraíram mais de 1 bilhão do Maranhão. O custeio médio mensal de uma Unidade Plena do IEMA representa investimento de R$ 243 mil, perfazendo R$ 2,9 milhões ano. Os cursos realizados ou em fase de conclusão das Unidades Vocacionais do IEMA representam investimen