Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2012

São Luís e a educação sem norte

São Luís e a educação sem norte Jhonatan Almada Historiador, Mestre em Educação pela UFMA e secretário executivo da Associação Nacional de Política e Administração da Educação (Anpae) no Maranhão. Passada a refrega eleitoral, os prefeitos (as) eleitos (as) começam a organizar a transição entre a administração anterior e a futura administração municipal. Esse período sempre carreou muitos problemas nas últimas décadas, especialmente pela tendência da “queima de arquivo”. Tradicionalmente, os antigos administradores que não conseguem se reeleger ou eleger o sucessor praticam a queima dos documentos, computadores e outros materiais ligados a memória institucional da Prefeitura. Impossibilitam, assim, que os novos gestores tenham conhecimento do feito, do pendente e do não cumprido. Quase sempre, a transição não ocorre de maneira republicana e transparente. Espero que não seja o caso de São Luís. As primeiras declarações do novo prefeito de São Luís, Edvaldo Holanda Júnior, d

Uma Fortaleza para a Oposição no Maranhão

UMA FORTALEZA PARA A OPOSIÇÃO NO MARANHÃO Jhonatan Almada, historiador. É comum a expressão de que só se decide uma eleição quando as urnas são abertas e os votos contados. A expressão nasceu quando as urnas ainda não eram eletrônicas. Atualizando-a, diríamos que a eleição só é decidida quando os votos estão on-line. No entanto, a política é a arte de perfurar grossas vigas de madeira com os dedos das mãos, exige habilidade, inteligência, paciência, plasticidade e persistência. A análise aqui esboçada é um exercício dessa política e nos leva a perceber que as eleições municipais de 2012, no seu conjunto, evidenciam algumas permanências e tendências, as quais terão reflexo nas eleições de 2014. A primeira permanência é a poder do Governo do Estado em influenciar e controlar a maioria dos municípios maranhenses. A instável base de apoio partidária do governo Roseana Sarney elegeu um percentual significativo de prefeitos e vereadores, menciona-se 90% dos municípios como um

Ousar Vencer

OUSAR VENCER Jhonatan Almada, historiador e primeiro secretário do Instituto Jackson Lago. Quem conhece a trajetória política de Léo Costa e partilha de sua agradável companhia sabe da inventividade, inteligência e capacidade criadora que o caracterizam. Se falarmos de coerência e lealdade é impossível não mencioná-lo. Companheiro do dr. Jackson Lago desde os primórdios, um dos fundadores e históricos do Partido Democrático Trabalhista (PDT), construiu uma relação de confiança com o saudoso político, prefeito de São Luís por três mandatos e governador do Maranhão. Entretanto, o que demarca a vitória eleitoral em Barreirinhas é a ousadia de Leo Costa. Ousadia em enfrentar um dos principais representantes da oligarquia local rediviva, praticamente só, com as próprias mãos e as do que se juntaram e acreditaram na sua navegação. Ousadia de vencer a eleição contra um dos esquemas mais poderosos, espúrios e atrasados da política maranhense e brasileira. A derrota de Albéri