Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2017

A REDE DO IEMA CRIA MAIS OPORTUNIDADES

Jhonatan Almada, historiador Completamos o segundo ciclo de expansão do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão, o IEMA. Em 2016 inauguramos as unidades de São Luís, Bacabeira e Pindaré-mirim. Neste início de 2017, realizamos as inaugurações de Axixá, Coroatá, São José de Ribamar e Timon. Isso significa que nossa rede de educação profissionalizante de tempo integral saiu do zero para 7 unidades em 2 anos de Governo Flávio Dino no Maranhão, como diria Camões “mais serviria se não fora tão curta a vida”.  A Rede do IEMA leva ensino técnico de tempo integral com modelo pedagógico próprio, seu diferencial mais forte. Não foi fácil. Muitos passaram na frente dos prédios e disseram que não iriam ser concluídos. Não acreditaram na nossa obstinação. Também foi assim quando inauguramos as três primeiras unidades, no ano seguinte tivemos uma concorrência de 7 para cada 1 vaga oferecida onde antes inexistia procura espontânea. Aos poucos construímos cap

AGENDA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA 2017

Jhonatan Almada, Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação Um dos grandes desafios do Brasil para que a pesquisa produzida aqui tenha impactos no seu processo de desenvolvimento é estabelecer prioridades e regularidade no financiamento público, sobretudo considerando que a iniciativa privada não se apresenta nesse campo como em países avançados. É oportuno pautar uma Agenda Prioritária para a área de Ciência e Tecnologia no Maranhão. Os programas Cidadão do Mundo, Luminar, Aulão do Enem, Cidadania Digital, InovaMaranhão e os cursos da Rede do IEMA são os carros-chefes da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Maranhão e continuarão sua implementação em 2017.  Entretanto, precisamos avançar em outros temas fundamentais para a consolidação de uma política estruturante para o setor de Ciência e Tecnologia no Maranhão, tais como a Rede Ciência Maranhão, a Biblioteca Básica Maranhense, os Pontos do Saber, os IECTs e o Projeto Ignacio Rangel. Devemos ca