Pular para o conteúdo principal

CIÊNCIA E EDUCAÇÃO PARA A JUVENTUDE



Jhonatan Almada, historiador.

 
Nesta semana iremos lançar programas importantes para a juventude maranhense, parceria que articula as Secretarias de Ciência e Tecnologia, FAPEMA, Educação, Cultura e Direitos Humanos, sob a liderança da Secretaria de Juventude, tais como, o Geração Ciência e o Juventude com Ciência. A juventude tem sido uma prioridade do Governo Flávio Dino para que possamos criar oportunidades atrativas e fecundas.

Teremos a segunda edição do Geração Ciência que objetiva estimular a pesquisa na educação básica e oferece bolsas de iniciação científica júnior para professores e estudantes das escolas públicas que apresentem e desenvolvam um projeto de pesquisa. Durante a Semana de Ciência e Tecnologia 2017 iremos realizar Seminário com os projetos financiados no edital do ano passado para que os resultados sejam divulgados e avaliados. O Geração Ciência estimula nas crianças e jovens o despertar de vocações científicas, colocando-as no caminho da ciência e educação. 

O Juventude com Ciência tem por objetivo levar jovens universitários para ações diretas nos 30 municípios de menor IDH do Maranhão, trata-se do nosso Projeto Rondon. Os contemplados receberão bolsa da FAPEMA para que desenvolvam trabalho vinculado às suas áreas de conhecimento e possam contribuir com o enfrentamento das desigualdades sociais agudas que ali estão impressas. O sentido desse programa é sublinhar Ciência e Educação como agentes da mudança social, bem como, engajar a juventude como cidadãos ativos e co-responsáveis para essa mudança. 

O Programa Aulão do ENEM, iniciativa da Secretaria de Ciência e Tecnologia que este ano estará em sua terceira edição. O Programa objetiva contribuir com os jovens que desejam ingressar na Universidade pública por intermédio do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Em 2015, atendemos 10 mil estudantes em 11 cidades e na Plataforma Digital do programa. Já em 2016 atendemos 20 mil estudantes em 65 municípios. A meta para 2017 é atendermos 70 municípios e pelo menos 25 mil estudantes em todo o Maranhão.

Fizemos uma pesquisa amostral com os estudantes que participaram do Aulão do ENEM de 2016 para avaliarmos a contribuição do Programa. Recebemos centenas de respostas positivas e animadoras. Os participantes foram aprovados em Universidades públicas federais e estaduais do Rio de Janeiro, Amazonas, Piauí, Tocantins, Goiás, Paraná e São Paulo, e reconheceram que o Aulão do ENEM contribuiu com sua conquista pessoal.

Jaciara da Luz Cunha, de Carutapera, deu o seguinte depoimento: “Olá, tudo bem? Eu só tenho a agradecer à coordenação e aos professores pela realização do projeto, pois o mesmo me ajudou bastante no meu desempenho no Enem 2016. Graças à Deus e aos estudos, hoje vou fazer faculdade e estou muito feliz. Muito obrigada! Minha sugestão é que continue o projeto e se expanda cada vez mais o número de aulas oferecidas, para que possa haver maior e melhor resultado. Sucesso!”

Ana Cristina da Silva Aguiar, de Açailândia, afirmou o seguinte: “O projeto do aulão, é um excelente projeto onde é exposto um conteúdo maravilhoso durante toda aula de uma forma dinâmica e uma interação entre alunos e professores para tirar dúvidas. É um projeto muito bom, e é importante que o mesmo continue para assim ajudar nos vestibulando durante nossa conquista acadêmica. Sem dizer nos professores que são ótimos profissionais e que nada seria possível”.

Danielle Salles, de Codó, deu o seguinte depoimento: “Adorei o projeto desenvolvido pela equipe do Preuni, o aulão foi muito proveitoso para mim, me ajudou em muitos aspectos, agora estou cursando o curso que sempre quis, não consegui através do SISU, mas graças a Deus passei pelo ProUni e consegui uma bolsa integral. Agradeço muito a todos e continuem realizando esse projeto pela juventude”

Esses depoimentos nos animam a continuar trabalhando pelo bem comum, o grande sentido da política e a inspiração maior de tudo que fazemos no Governo Flávio Dino. Priorizar a juventude é acreditar no investimento em ciência e educação como a melhor solução para os graves problemas que afetam esse segmento social estratégico para o Maranhão.

Comentários

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas deste blog

MIL DIAS DO GOVERNO FLÁVIO DINO

O Governo Flávio Dino completou mil dias de efetivo exercício nesta semana. Quem está imerso no enfrentamento dos grandes problemas do Maranhão sabe do significado deste número. O semióforo dos mil dias oportuniza fecunda reflexão sobre o que tem sido feito pelo Governo do Maranhão em conjuntura adversa e drástica do Brasil.

Quando assumiu o governo, Flávio Dino decidiu imprimir ritmo de campanha na ação do Poder Executivo acostumado a formas tradicionais de agir ou paralisado pelos tecnicalismos vazios. Podemos resumir isso em uma frase: o governador que trabalha mais de 12 horas por dia e atravessa madrugadas no encalço de suas metas e dos responsáveis por elas. Nunca teci elogios sem fundamento. Não se pode perder tempo e este espírito se apoderou dos que se imbuíram do exemplo e procuraram imitá-lo no limite de suas capacidades individuais e condições disponíveis.

Não foi um passeio chegar aos mil dias com o conjunto de obras e serviços entregues pelo Governo. A brutal escasse…

O DESAFIO DO ENSINO DE INGLÊS NA REDE PÚBLICA

Fazendo as contas completei 10 anos como articulista de jornais, escrevendo artigos de opinião. Destaco o Jornal Pequeno como espaço privilegiado para compartilhar minhas reflexões sobre temas de interesse e questões contemporâneas que merecem ser debatidas. Os artigos acumulados já resultaram em quatro livros: “Planejamento que marca caminhos”, “A alternância do poder político no Maranhão”, “Crítica à indiferença: política, ciência e educação” e “Ciência e educação como agentes de desenvolvimento”.
Dando continuidade a essas reflexões abordo hoje o problema do ensino de inglês na rede pública. O British Council publicou a pesquisa “O ensino de inglês na educação pública brasileira” apresentando os aspectos institucionais, o contexto escolar, o perfil dos professores e os desafios para o ensino desse idioma.
Uma primeira conclusão importante é que o ensino de inglês não é uma diretriz obrigatória nos documentos que regulam a educação, seja na esfera federal, seja nas esferas estaduai…

OBAMA NO BRASIL II

Acredito que qualquer político em início de carreira deve ser alvo de muitas depreciações, seja porque não lhe reconhecem como tal, seja porque sempre minimizam o trabalho realizado como algo banal ou simplório. Assim imagino a reação ao Obama dos primeiros anos, começando seu agir político nas comunidades, atuando em prol da organização das pessoas para resolverem os problemas mais agudos que lhes afetam.

A incapacidade de reconhecer tem raiz no apagamento do outro, enxergar no outro não um parceiro e igual, mas um mero semovente útil para determinadas tarefas e circunstâncias. Os tempos de mentiras aceleradas pela velocidade dos fluxos de informação constroem biografias precoces e também desumanizam abruptamente. Agradecer é reconhecer, pois não se constrói nada duradouro sem a participação de muitos outros, anônimos ou cavaleiros marginais, à margem, mas cavaleiros. Cada um traz seu tijolo para o edifício da história.

A comparação é um recurso comum para nos posicionarmos sobre q…