Pular para o conteúdo principal

MIL DIAS DO GOVERNO FLÁVIO DINO

O Governo Flávio Dino completou mil dias de efetivo exercício nesta semana. Quem está imerso no enfrentamento dos grandes problemas do Maranhão sabe do significado deste número. O semióforo dos mil dias oportuniza fecunda reflexão sobre o que tem sido feito pelo Governo do Maranhão em conjuntura adversa e drástica do Brasil.

Quando assumiu o governo, Flávio Dino decidiu imprimir ritmo de campanha na ação do Poder Executivo acostumado a formas tradicionais de agir ou paralisado pelos tecnicalismos vazios. Podemos resumir isso em uma frase: o governador que trabalha mais de 12 horas por dia e atravessa madrugadas no encalço de suas metas e dos responsáveis por elas. Nunca teci elogios sem fundamento. Não se pode perder tempo e este espírito se apoderou dos que se imbuíram do exemplo e procuraram imitá-lo no limite de suas capacidades individuais e condições disponíveis.

Não foi um passeio chegar aos mil dias com o conjunto de obras e serviços entregues pelo Governo. A brutal escassez de recursos é driblada todos os dias, garantindo a continuidade do investimento público e o pagamento da folha de pessoal. Trabalho exaustivo que nos permitiu alcançar a 4ª melhor situação fiscal do Brasil e o 2º maior crescimento econômico projetado entre todas as 27 unidades federativas.

O coração desse resultado está na correta aplicação do dinheiro público em benefício do povo, efetivamente levando obras e serviços, sobretudo aos que mais precisam e com a inédita transparência na aplicação. Saímos do 24º lugar para o 1º lugar em transparência pública no ranking nacional. Os empresários estão seguros de que receberão aquilo que tem direito, sem negociatas ou por foras. Os investidores que desejam vir ao Maranhão sentem a confiança e seriedade do ambiente de negócios aqui gerado, sem sociedades obscuras ou contratos de gaveta.

O Porto do Itaqui talvez seja um dos exemplos mais emblemático desses mil dias, empresa que operava com prejuízos, hoje é lucrativa e investe na modernização e ampliação do próprio Porto. Enorme esforço de articulação nacional e internacional reposicionou o Itaqui como vetor estratégico do desenvolvimento do Maranhão e do Brasil. Compare-se um Porto que tinha em folha de pagamento o irmão de Sarney e tio de Roseana, hoje é campeão em eficiência e possui carteira de R$ 1 bilhão em investimento produtivo.

O Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão-IEMA é a primeira instituição do Governo do Estado a ofertar educação profissional e tecnológica em rede. Alcançamos 20 unidades próprias, sendo 7 de ensino médio técnico em tempo integral e 13 de qualificação profissional, além de cursos em 71 municípios. É preciso mencionar que esta rede nestes mil dias trouxe pelo mérito de professores, gestores e estudantes medalhas de ouro, prata e bronze nas Olimpíadas de Matemática, Geografia, Astronomia e Astronáutica, Robótica ou primeiro, segundo e terceiro lugares em competições nacionais e internacionais de Robótica e Foguetes.

A saúde pública acertadamente retomou sua regionalização. Inauguramos 5 hospitais regionais que corrigiram a insanidade muradiana anterior. Isso permitiu ampliar o número de leitos em quase 25%, este número deverá chegar a 69% até 2018, disponibilizando 3.832 vagas onde existia pouco mais de 2 mil. Os hospitais regionais de Santa Inês, Bacabal, Caxias, Pinheiro, Presidente Dutra e Balsas estão salvando vidas de milhares de maranhenses. Medida corajosa que consome mensalmente significativa parte do fundo público. Corajosa considerando que a União repassa menos do que deveria e o Tesouro Estadual sustenta solitariamente a expansão dos serviços de alta e média complexidade.

A segurança pública viu números inéditos. Maior efetivo de policiais da história, com 12 mil militares. Maior número de viaturas, 730 entregues (carros e motos). Novo concurso em breve, delegacias e quartéis sendo reformados ou inaugurados. Os números mais importantes são a redução em 63% dos homicídios, em 99% dos roubos a banco e 1000% de aumento na apreensão de drogas. Nunca a polícia foi tão presente e efetiva no Maranhão, combatendo a violência com seriedade, inteligência e inserção comunitária.

Tenho a honra de contribuir com estes mil dias desde o primeiro, fico orgulhoso ao realizar essa pequena síntese e constatar que é impossível colocar em um único artigo todos os feitos e entregas do Governo Flávio Dino. Não acabou, estamos na reta final da jornada venturosa e o povo brevemente decidirá pela sua continuidade. Assim seja!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BANQUE O DURO, MEU CHEFE

BANQUE O DURO , MEU CHEFE ! Por Raimundo Palhano Não deixe o seu lugar. Foi o conselho do venerável Bita do Barão de Guaré ao presidente do Senado, José Sarney, que, ao que parece, está sendo levado extremamente a sério. Quem ousaria desconsiderá-lo? Afinal, não se trata de um simples palpite. Estamos frente à opinião de um sumo sacerdote do Terecô, um mito vivo para o povo de Codó e muitos outros lugares deste imenso Maranhão. Um mago que, além de Ministro de Culto Religioso, foi agraciado pelo próprio Sarney, nos tempos de presidência da República, com o título de Comendador do Brasil, galardão este acessível a um pequenino grupo de brasileiros. Segundo a Época de 18.02.2002, estamos falando do pai de santo mais bem sucedido, respeitado, amado e temido do Maranhão. Com toda certeza o zelador de santo chegou a essa conclusão consultando seus deuses e guias espirituais. Vale recordar que deles já havia recebido a mensagem de que o Senador tem o “corpo fechado”. Ketu,

POR QUE HISTÓRIA É IMPORTANTE?

POR QUE HISTÓRIA É IMPORTANTE?  Pensando no que ocorreu com o Brasil nos últimos 4 anos e na enxurrada de informações destes dias pós-eleições tenho clareza de que HISTÓRIA é cada vez mais fundamental para entender o presente e não nos deixar reféns do momento, vejam o #Enem . O atual Ministro da Educação divulgou os inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio-Enem 2022 com um tom de comemoração em junho. O número de inscritos 2022 aumentou em relação a 2021, bem como, cresceram as isenções. Quando não se tem a perspectiva histórica sobre o Enem, facilmente nos enganamos, até por boa fé em relação às autoridades constituídas. O fato é que número de #jovens que se inscrevem no Enem caiu de forma expressiva, cerca de 35,6% em relação a 2014. E aí? E aí que não há nada para se comemorar. O número de jovens que não estão continuando seus estudos cresceu, a pandemia foi o golpe de misericórdia. A #Universidade deixou de ser um sonho para esses jovens, precisamos estudar HISTÓRIA e não se

ESTRADA DO SOL - João Batista Ericeira

Ainda estou muito sentido e impactado, escrevo algumas linhas com os olhos cheios d'água.  Conheci o professor Ericeira há 16 anos, pouco depois de vir morar em São Luís, fui aluno do curso de políticas públicas oferecido pela Escola de Formação de Governantes(EFG) dirigida por ele e vinculada à Escola de Governo da Universidade de São Paulo-USP, criada por Fábio Konder Comparato. Ali fomos construindo nossa amizade a partir da relação mestre e aluno. Nestes 16 anos sempre estivemos juntos, nunca passamos uma semana sem nos falar, quando ligava falava com a voz grave "- Professor Almada, como estão as coisas?". Depois caíamos na risada e assim levamos, trabalhamos juntos na Escola de Formação de Governantes, onde me tornei professor e coordenador de projetos; na Escola Superior de Advocacia, onde criamos dois Cursos de Especialização em Direito; na Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação e no Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão. "São