Pular para o conteúdo principal

A Via Expressa

A Via Expressa ou Governa-se para o centro ("bairros nobres") da capital

Vale a pena dar uma conferida nos mapas produzidos pelo Instituto de Planejamento da Cidade de São Luís.
Este trabalho apresenta um retrato muito atualizado da situação econômica, infraestrutural e social de São Luís.
O norte da capital (entorno do Calhau), algumas áreas no entorno do Centro, concentram os maiores níveis de renda e educação,
de abastecimento, saneamento, condições de moradia e de transportes. Além dos equipamentos de esporte e lazer.

Não é a toa que nessa área estão os principais órgãos do Governo Estadual. Justamente por que os ocupantes dos principais cargos do primeiro e segundo escalão residem próximo a este local. Os demais funcionários públicos de nível médio e inferior residem nos bairros mais distantes e se deslocam por intermédio do péssimo sistema público de transportes.

Se no Maranhão registra-se a concentração econômica e governamental em São Luís, em São Luís atenta-se para a concentração econômica e governamental nos bairros do entorno do Calhau e Centro.

Nenhuma ação do governo estadual toca nem de perto essa problemática. Pelo contrário, em todos os mandatos anteriores, neste não poderia ser diferente, tanto Roseana Sarney, quanto os ex-governadores sarneisistas ( como Fiquene, João Alberto, Lobão, Cafeteira), apresentam como suas principais obras, melhorias nas áreas "nobres" da capital, Projeto Reviver, Av. Litorânea, Elevados, Lagoa da Jansen, dentre outros.

Governa-se para o centro e "bairros nobres" da capital. O que não livra essas áreas da buraqueira. No entanto, comparando-se os problemas aí observados com os das regiões "periféricas", onde residem a maioria dos trabalhadores e trabalhadoras dessa cidade, isso é nada.

Mais uma obra comprova essa constatação. A propagandeada Via Expressa atende exclusivamente a esses bairros "nobres". Claro, onde residem esse funcionalismo médio e superior, o "empresariado" ludovicense e a "classe média" local, os quais possuem praticamente 2 carros por moradia e formam um protoelite.

A "periferia" da capital, que estaria bem servida com corredores exclusivos para ônibus, um projeto de VLT que a ligasse as áreas onde esses trabalhadores e trabalhadoras são explorados, fica relegada. É preciso lembrar que os donos das empresas de ônibus são políticos das esferas municipal e estadual, esses, juntamente com a oligarquia, impedem qualquer progresso real e concreto.

O meio mais efetivo de resolver as dificuldades de engarrafamento e transporte da "periferia" para o centro, ou seja, o Trem de Superficie, não foi sequer cogitada. Gastarão milhões de reais para uma obra que atende ao quintal de suas casas. A propaganda da obra publicada no jornal oficial da oligarquia afirma "A Via Expressa vai melhorar a vida das pessoas", esqueceram de dizer que as pessoas são eles mesmos.

Por Jhonatan Almada, historiador

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BANQUE O DURO, MEU CHEFE

BANQUE O DURO , MEU CHEFE ! Por Raimundo Palhano Não deixe o seu lugar. Foi o conselho do venerável Bita do Barão de Guaré ao presidente do Senado, José Sarney, que, ao que parece, está sendo levado extremamente a sério. Quem ousaria desconsiderá-lo? Afinal, não se trata de um simples palpite. Estamos frente à opinião de um sumo sacerdote do Terecô, um mito vivo para o povo de Codó e muitos outros lugares deste imenso Maranhão. Um mago que, além de Ministro de Culto Religioso, foi agraciado pelo próprio Sarney, nos tempos de presidência da República, com o título de Comendador do Brasil, galardão este acessível a um pequenino grupo de brasileiros. Segundo a Época de 18.02.2002, estamos falando do pai de santo mais bem sucedido, respeitado, amado e temido do Maranhão. Com toda certeza o zelador de santo chegou a essa conclusão consultando seus deuses e guias espirituais. Vale recordar que deles já havia recebido a mensagem de que o Senador tem o “corpo fechado”. Ketu,

POR QUE HISTÓRIA É IMPORTANTE?

POR QUE HISTÓRIA É IMPORTANTE?  Pensando no que ocorreu com o Brasil nos últimos 4 anos e na enxurrada de informações destes dias pós-eleições tenho clareza de que HISTÓRIA é cada vez mais fundamental para entender o presente e não nos deixar reféns do momento, vejam o #Enem . O atual Ministro da Educação divulgou os inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio-Enem 2022 com um tom de comemoração em junho. O número de inscritos 2022 aumentou em relação a 2021, bem como, cresceram as isenções. Quando não se tem a perspectiva histórica sobre o Enem, facilmente nos enganamos, até por boa fé em relação às autoridades constituídas. O fato é que número de #jovens que se inscrevem no Enem caiu de forma expressiva, cerca de 35,6% em relação a 2014. E aí? E aí que não há nada para se comemorar. O número de jovens que não estão continuando seus estudos cresceu, a pandemia foi o golpe de misericórdia. A #Universidade deixou de ser um sonho para esses jovens, precisamos estudar HISTÓRIA e não se

ESTRADA DO SOL - João Batista Ericeira

Ainda estou muito sentido e impactado, escrevo algumas linhas com os olhos cheios d'água.  Conheci o professor Ericeira há 16 anos, pouco depois de vir morar em São Luís, fui aluno do curso de políticas públicas oferecido pela Escola de Formação de Governantes(EFG) dirigida por ele e vinculada à Escola de Governo da Universidade de São Paulo-USP, criada por Fábio Konder Comparato. Ali fomos construindo nossa amizade a partir da relação mestre e aluno. Nestes 16 anos sempre estivemos juntos, nunca passamos uma semana sem nos falar, quando ligava falava com a voz grave "- Professor Almada, como estão as coisas?". Depois caíamos na risada e assim levamos, trabalhamos juntos na Escola de Formação de Governantes, onde me tornei professor e coordenador de projetos; na Escola Superior de Advocacia, onde criamos dois Cursos de Especialização em Direito; na Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação e no Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão. "São