Pular para o conteúdo principal

A IRONIA DO VIL METAL

A IRONIA DO VIL METAL

O governo ilegítimo do Maranhão acaba de lançar o Programa de Valorização do Servidor que em essência nada mais é do que o ajuntamento de programas, medidas e ações já existentes em governos anteriores ou que estavam em estudo no Governo Jackson Lago, apresentadas pelo sempre batido verniz midiático.

A despeito do discurso de valorização dos servidores cabe aguardar a frieza dos saldos bancários no próximo pagamento para se ter clareza quanto a verdade do lançamento fanfarronístico.

A grande dúvida é saber se os servidores e servidoras do Estado com perdas históricas que não foram reparad nem mesmo com essas medidas maquiadas irão se dobrar às vontades eleitorais da oligarquia se deixando seduzir pelo tilintar do vil metal.

Enquanto isso, eu e inúmeros companheiros que trabalharam no IMESC da SEPLAN no governo anterior, temos nossos pagamentos de rescisão salarial retidos a mais de quatro meses nas mãos do Governo ilegítimo. Esse descaso, que melhor caracteriza o modus operandi da oligarquia, mais do que a propaganda oficial, ocorre conosco diuturnamente e sem conhecimento da maioria.

É irônico que o Governo ilegítimo ao anunciar aparentes melhorias salariais para os servidores públicos não pague o que é devido a quem trabalhou para o Estado.

É o Maranhão!

http://www.ma.gov.br/noticias/ver.php?id=1975

Comentários

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Postagens mais visitadas deste blog

O MARANHÃO ILUMINA CAMINHOS PARA O BRASIL

Jhonatan Almada, historiador

2016 foi um ano extremamente difícil para o Brasil e para o Maranhão em particular. Retrospectiva evidenciará que a permanente instabilidade política do país não encontrou fim e a superação da crise econômica não chegou. A crise do pacto de poder(que vigeu até 2014)e a inexistência de projeto nacional empurraram-nos para 2017 com grandes incertezas e falta de clareza no horizonte.
Nesse cenário, o Maranhão se tornou raríssima exceção quanto ao desempenho das políticas públicas ampliando o acesso a direitos e estimulando a economia estadual, equilíbrio perdido no âmbito de governos como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Goiás, Paraná, Tocantins e Distrito Federal que parcelam ou atrasam salários, não pagam fornecedores, fecham órgãos e serviços públicos. 
O Governo do Maranhão ganhou fôlego para enfrentar as incertezas de 2017 graças à economia de R$ 300 milhões em 2015-2016 advinda do corte de supérfluos, luxos, aluguéis de veículos e imóveis,